Remo faz 2 a 0 no Baenão e resultado acende sinal de alerta no ABC

Foto: Rennê Carvalho/ABC

O Leão comprovou a fama de conquistar bons resultados contra equipes que lutam na parte de cima da tabela e bateu o ABC por 2 a 0, no estádio Baenão. Antes a equipe já havia batido o Mirassol e empatado com o Paysandu dentro do seu alçapão. Os gols foram marcados por Paulinho Curuá e Brenner, e o resultado levou o Remo a uma posição no G-8, além de derrubar a equipe potiguar para a quinta colocação.

A partida reunia duas equipes que não vencem há mais de um mês, os donos da casa estavam pressionados para conquistar os três pontos e tentar se manter próximo do G-8. Já para os potiguares, a vitória seria importante para manter o clube no grupo de elite e evitar que ele se aproximasse perigosamente da parte de baixo no grupo das equipes que estariam na segunda fase se a competição acabasse hoje.

Quando pisou no gramado o Alvinegro de acordo com os resultados da 15a rodada, estava na quinta colocação. Mas as coisas complicaram cedo para os comandados de Fernando Marchiori, depois que, na cobrança de um escanteio, Paulinho Curuá acertou um sem pulo sensacional e colocou o Remo na frente do placar, logo aos 8 minutos.

Logo depois, o técnico foi obrigado a mudar o seu plano de jogo, quando Patrick sentiu uma contusão, após trombar com um adversário e foi obrigado a deixar a partida para ser removido a um hospital de Belém, por suspeita de fratura numa das costelas. A entrada de Thallyson fez Felipinho, que entrou para fazer o terceiro homem de meio-campo, voltar à lateral-esquerda.

A bruxa estava solta para o lado abecedista, prova disso é que Thallyson que havia entrado no lugar de Patrick ficou poucos minutos em campo e também saiu lesionado para a entrada de Gustavo França. Somada às baixas, o clube potiguar também encontrava dificuldade em prender a bola na frente.

De forma truncada e com muitos choques entre os atletas nas disputas de bola, a partida transcorria sem maiores emoções, até que aos 33, Henan recebeu bom passe, mas perdeu o duelo contra o zagueiro Zé Carlos, que realizou uma boa defesa. Essa foi a primeira chegada alvinegra na partida.

A partida foi se encaminhando para o fim, com um nível técnico sofrível, as duas equipes com sérios problemas no setor de armação, criando muito pouco, errando muitos passes e mostrando o motivo pelo qual não vencem há mais de um mês.

A etapa inicial foi um desastre completo para o ABC,a intenção de Marchiori era melhorar o desempenho da equipe natalense para buscar uma reação na partida. Mas sua ação foi prejudicada pelo fato das duas alterações que foi obrigado a realizar de forma precoce, o que dava ao técnico abecedista mais uma oportunidade apenas de parar o jogo para realizar mais alguma alteração. 

A primeira medida foi aproveitar a volta das equipes para fazer uma nova troca, dessa vez na zaga, colocando Alla Uchôa no lugar de Ícaro, que estava advertido com cartão amarelo, numa partida de bastante contato entre os jogadores.

Quando a bola começou a rolar, Henan e Gustavo França continuavam sem prender a bola no ataque, o que propiciava ao Remo recuperar a bola e atacar em velocidade. O resultado disso foi que o Leão provocou alguns sustos ao goleiro abecedista e também obrigou os dois zagueiros a pararem os ataque com falta, tanto que bastaram seis minutos para ambos serem punidos com o cartão amarelo. 

Mesmo sem jogar bem, o ABC esteve perto do empate aos 13, quando Gustavo França conseguiu fazer papel de pivô, descolou um belo passe para Henan bater e ver o goleiro do Remo evitar o empate. Em seguida os paraenses foram ao ataque, Leonan tentou o drible em Eduardo e se jogou na área, o árbitro Paulo Henrique de Melo (MS) caiu na pegadinha e marcou pênalti, aos 17 minutos. Escalado para cobrança, o centroavante Brenner não vacilou e fez 2 a 0 Remo, aos 19 minutos.

Jogando mal e desfalcado, agora só um milagre livraria o Alvinegro de perder a invencibilidade na competição, que durou exatas oito rodadas, período onde conquistou três vitórias e empatou outras cinco. Pedro Paulo salvou o terceiro gol, depois que Erick Flores roubou uma bola e passou para Netto, que de frente para o gol, bateu e o goleiro alvinegro fez um milagre.

Faltando quatro rodadas para terminar, o ABC será obrigado a recuperar o futebol que foi perdido desde a saída do atacante Kelvin. Caso contrário corre um sério risco de ficar pelo meio do caminho de ido ao equilíbrio existente na Série C, onde a distância entre o vice-líder, Paysandu, e o 12 colocado, o São José, é de apenas seis pontos. Então tudo pode ocorrer na competição, onde apenas o líder Mirassol está com a vaga garantida na próxima fase.

O ABC volta a campo no próximo sábado (23) para encarar o Floresta-CE no Frasqueirão.

TRIBUNA DO NORTE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

15 + 16 =