Venda de ativos da Petrobras no RN rendeu R$ 2,38 bilhões

Foto: Reprodução

A Petrobras vendeu R$ 2.382,86 bilhões (cerca de US$ 603,9 milhões) em ativos no Rio Grande do Norte, considerando a cotação da época de finalização das transações, entre 9 de dezembro de 2019 e 29 de julho deste ano.

As transações realizadas na Bacia Potiguar incluem a transferência à iniciativa privada de 46 campos terrestres e marítimos, uma termelétrica e um complexo eólico com quatro usinas. Os dados são do Privatômetro, um instrumento elaborado pelos economistas Eric Gil Dantas e Tiago da Silva Silveira para o Observatório Social da Petrobras, que traz um raio-x das privatizações, e foram confirmados em consulta aos Comunicados ao Mercado e planilhas enviadas pela Assessoria de Imprensa à reportagem da Tribuna do Norte.

Os últimos campos petrolíferos transferidos à iniciativa privada foram em 15 de julho de 2020, quando a Petrobras concluiu a venda total de sua participação (100%) nos campos terrestres Ponta do Mel e Redonda, em Areia Branca. Depois, a estatal vendeu sua participação nas usinas eólicas Mangue seco 1, 3 e 4 (abril de 2021), Mangue Seco 2 (maio de 2021), e na Termelétrica Potiguar (julho de 2021). No caso das eólicas, a venda somou 178,9 milhões. Já na Termelétrica Potiguar, onde a estatal vendeu os 20% de sua participação à Global Participações Energia S.A. (GPE), o valor recebido foi da ordem de US$ 16 milhões, o equivalente a R$ 81,3 milhões.

Até o momento, a maior transação em número de áreas e volume financeiro foi concluída em dezembro de 2019, quando a estatal transferiu para a E&P, subsidiária da Petrorecôncavo S.A, 34 campos terrestres no Polo Riacho da Forquila, recebendo por eles R$ 1,4 bilhão na cotação da época. A estatal ainda mantém, no Rio Grande do Norte 26 campos onshore e offshore, em produção; e um total de 1.100 empregados. No Polo Macau, foram vendidos sete campos terrestres e marítimos, em maio de 2020, e no Polo Pescada, três campos de água rasas, em julho de 2020.

No final de agosto deste ano, a Petrobras recebeu manifestação de interesse da 3R Petroleum sobre o projeto de desinvestimento do Polo Potiguar, que contempla um conjunto de três subpolos (Canto do Amaro, Alto do Rodrigues e Ubarana), totalizando 26 concessões de produção, 23 terrestres e 3 marítimas. Essas são as últimas concessões da estatal ativas em fase de  desinvestimento.

Além das concessões, estão incluídas na transação as infraestruturas de processamento, refino, logística, armazenamento, transporte e escoamento de petróleo e gás natural, e a Refinaria Clara Camarão localizada em Guamaré com capacidade instalada de refino de 39.600 bpd. Pelos ativos, a 3R Petroleum ofertou US$ 1 bilhão, um ano após a divulgação do teaser pela Petrobras, em agosto de 2020.

As concessões do subpolo Ubarana estão localizadas em águas rasas, entre 10 e 22 km da costa do município de Guamaré-RN. As demais concessões dos subpolos Canto do Amaro e Alto do Rodrigues são terrestres. A produção média do Polo Potiguar de janeiro a junho de 2020 foi de aproximadamente 23 mil barris de óleo por dia (bpd) e 124 mil m³/dia de gás natural.

*Tribuna do Norte

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × 1 =