Bandidos amordaçam vítimas durante arrastão à luz do dia em casa de praia na Grande Natal

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Crime aconteceu em Búzios, no litoral potiguar, às 9h desta terça-feira (4). Criminosos amarraram e amordaçaram vítimas, que ficaram trancadas em um quarto.

Três famílias ficaram reféns de criminosos durante um arrastão na manhã desta terça-feira (4) na praia de Búzios, em Nísia Floresta, na Grande Natal. Nove pessoas estavam na casa de praia e algumas delas tiveram os punhos amarrados e as bocas amordaçadas, durante 40 minutos de ação dos criminosos.

As famílias eram de Currais Novos e passariam, ao todo, 11 dias na casa, mas decidiram voltar após o trauma.

O arrastão aconteceu por volta das 9h. Dois criminosos invadiram a casa no momento em que alguns dos turistas iriam tomar banho de mar.

No grupo, havia cinco crianças e adolescentes entre 6 e 15 anos de idade e algumas delas passaram mal durante o crime.

“O tempo todo os meninos chorando, então eu tive que ser forte um pouquinho, mesmo com medo por dentro. É tenso, difícil”, lamentou uma das vítimas, Jânia Darc.

Os bandidos estavam armados. Eles levaram seis celulares, dinheiro e objetos de valor, além do veículo da família, uma picape Strada. O único homem da casa foi colocado de barriga pra baixo, com a cabeça no banheiro.

Jânia disse que, apesar do medo, os criminosos não foram agressivos. “Um deles era tranquilo, ficou nos tranquilizando, amarrou a gente, pediu celular, dinheiro, pediu que a gente não gritasse, que não queria fazer nada”, contou.

Nessa época do ano, o policiamento é reforçado por causa da Operação Verão. Durante toda a tarde, o 3º Batalhão da Polícia Militar fez buscas na região litorânea em que o crime aconteceu. Porém, nenhum suspeito foi localizado e nem o carro da família encontrado. Os bandidos fugiram sentido Parnamirim.

“Uma das pessoas da casa foi obrigada a colocar o carro pra fora, porque eles aparentemente não sabiam dirigir. Então, provavelmente, eles vão abandonar em algum lugar”, disse o sargento Rafael, do 3º Batalhão da PM.

Após o susto, o trauma e a perda financeira, a família ainda se diz aliviada por nada ainda mais grave ter acontecido

“A gente está indo embora hoje. Levaram tudo, carro, celular, mas o importante, a vida da gente, ficou”, disse Jânia.

FONTE: G1/RN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

14 + dois =