Sob nova direção, partido Novo se coloca como oposição ao “governo populista” de Fátima Bezerra e vai disputar as eleições de 2022 no RN

Foto: reprodução/Kim Medeiros

Com discurso de oposição a gestão Fátima Bezerra (PT), que na sua opinião faz um governo populista e desalinhado com a proposta liberal defendida pela sigla, o partido Novo se encontra sob nova direção, agora com o comando do advogado Kim Medeiros, um nome que se destaca entre os integrantes da nova geração do meio jurídico potiguar. Medeiros assumiu a direção do diretório estadual da legenda, focado em “reconstruir e unir” a agremiação partidária, preparando-a para entrar em campo de forma competitiva nas eleições estaduais de 2022. A sua missão será dividida com a vice-presidente, Kassandra Bezerra. O Novo também é oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro, considerado pelo dirigente partidário como sendo também “populista”.

“Somos uma oposição saudável, votamos nas propostas que estiverem alinhadas ideologicamente com a nossa diretriz, seja na esfera que for”, ressalta.

 Com relação as eleições do próximo ano, ele destaca os planos do partido: “Estamos preparando a nominata para 2022 e o Novo faz processo seletivo para todos os nomes, sejam eles deputado estadual ou federal, senador, governador ou presidente da República. As inscrições para o processo seletivo estão abertas até o dia 15 de dezembro deste ano. Qualquer pessoa que quiser ser candidato pelo Novo tem que se filiar ao partido e se inscrever”, assinala.

Segundo ele, o diretório estadual tem priorizado a escolha de candidatos a deputado federal, já tendo inclusive um nome local aprovado no processo seletivo, que é o de Rodrigo Bezerra.

Kim Medeiros explica ainda sobre a tendência das alianças para 2022. “O partido Novo, por ser um partido que defende uma bandeira liberal, não tem pactuado tanto com outros partidos, onde existem pessoas liberais nesses outros partidos, mas as diretrizes desses partidos não compactuam com as ideias liberais do Novo. Então, geralmente, a gente não faz alianças, coligações ou federação com outros partidos. Esse cenário pode mudar, mas a princípio não há interesse com relação a alianças com outros partidos”, enfatiza.

“Reconstruir e unir o Novo é prioridade máxima diante de todos os ruídos que estamos vendo por aí. O que nos une e o que nos move é muito maior do que as pontuais divergências que nos deparamos no dia-a-dia. Aprender a conviver com opiniões distintas da nossa é uma virtude liberal. Continuar o processo de disseminação do projeto do Novo no RN é indispensável para que possamos crescer e amadurecer o partido”, profetiza Kim Medeiros.

Sobre a missão que assumiu de colocar o partido em um novo patamar político no Rio Grande do Norte, Kim Medeiros se mostra confiante no sucesso da empreitada. “Assumimos o compromisso por acreditar, verdadeiramente, que o projeto político liberal do Novo é a alternativa para que tenhamos um Rio Grande do Norte e um Brasil melhor e mais livre, diante de todos aqueles princípios e valores que todos nós já somos familiarizados”, a­firma. E acrescenta: “o Novo se prepara para lançar candidatura própria aos cargos de governador, senador e deputados federal e estadual. Para isso, deu início a um processo seletivo dos interessados, que devem participar das seletivas que incluem entrevista, perfil­ ideológico e apresentação de projeto de campanha”, finaliza.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

16 + dezenove =